skip to Main Content

Tela Tomazeli l Editora

Pão dos Pobres completa 128 anos e apresenta primeira etapa do restauro do seu prédio

Cerimônia de acendimento da nova iluminação da fachada ocorrerá no dia 15 de agosto de 2023

 

A Fundação O Pão dos Pobres de Santo Antônio completa 128 anos de atuação, e vai marcar o seu aniversário com a entrega da primeira etapa do restauro da sua fachada. A frente do prédio, posicionada para as avenidas Praia de Belas e Borges de Medeiros será iluminada no dia 15 de agosto de 2023, às 19h para exibir o resultado da fase inicial da requalificação. A edificação vem sendo restaurada desde 2017 pela equipe Studio 1 Arquitetura, sob o comando do arquiteto Lucas Volpatto, já passou por diversas fases e vem buscando apoio para conseguir dar andamento às próximas etapas. Até o momento, metade do projeto foi concluído. O edifício foi tombado em 2004 pelo município de Porto Alegre devido à peculiaridade e riqueza de suas características arquitetônicas e pela sua importância histórica. “Estamos muito satisfeitos por devolver nosso patrimônio histórico à sociedade. O prédio tombado é um dos mais lindos cartões postais da cidade e o Pão dos Pobres realiza, por meio da administração Lassalista, um trabalho social de excelência. Tudo o que fazemos só é possível graças à arrecadação financeira oriunda prioritariamente de empresas, doações espontâneas de pessoas físicas, destinação de verbas por meio de convênios públicos e sociedade civil. Sentimo-nos amparados e motivados a levar adiante nossa missão,” destaca o diretor-geral da entidade, Irmão Albano Thiele.

 

 

Sobre O Pão dos Pobres

O Pão dos Pobres surgiu em 1895, a partir da iniciativa solidária do Cônego José Marcelino de Souza Bitencourt, que buscava amparar as viúvas e os filhos de vítimas da Revolução Federalista. A guerra civil ocorreu na Região Sul do Brasil, entre 1893 e 1895, poucos anos após Proclamação da República. Atualmente, a Fundação atende em torno de 1,4 mil crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, com idades de zero a 18 anos incompletos. Desse total, 120 residem em casas de acolhimento da Instituição. Eles recebem todas as condições de proteção e desenvolvimento pessoal, conforme suas faixas etárias, como alimentação adequada, acompanhamento de equipes multidisciplinares, compostas por psicólogos, assistentes sociais e educadores, além de inserção na escola regular, atividades culturais e esportivas. Existem, também, os Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e o de Educação Integral, que atendem 210 crianças nos em turnos inversos ao escolar. Há, ainda, o serviço de Aprendizagem Profissional, com a oferta semestral de 13 cursos que preparam os jovens a partir de 14 anos para o mercado de trabalho.

 

Prédio histórico tombado e restaurado

O atual prédio da Fundação O Pão dos Pobres de Santo Antônio foi concebido pelo arquiteto alemão Joseph Lutzenberger, pai do ambientalista gaúcho José Lutzenberger, para abrigar viúvas e crianças que ficaram órfãs durante a Revolução Federalista. A pedido da Arquidiocese de Porto Alegre, ele foi construído para acolher famílias carentes que já eram atendidas pela Fundação. Em 1929 a edificação foi concluída e inaugurada com auxílio de donativos da sociedade porto-alegrense. O edifício foi tombado em 2004 pelo município de Porto Alegre devido à peculiaridade e riqueza de suas características arquitetônicas, além da sua importância histórica. Desde o início da requalificação, em 2017, o prédio já passou por diversas fases e depende de apoio financeiro para a conclusão dos 50% restantes.

 

A primeira etapa do restauro, que é a fachada principal, foi realizada com recursos próprios da Fundação e será entregue no dia 15 de agosto. O trabalho está sendo realizado pela Studio 1 Arquitetura, sob o comando de Lucas Volpatto. Uma equipe multidisciplinar de restauradores, historiadores e arquitetos realizou um estudo minucioso sobre a construção da edificação. Vários detalhes foram se revelando ao longo do processo, e a edificação terá seus tons originais de volta, além do restauro do grupo escultórico e o muro da Baronesa. No dia do aniversário da Fundação, a fachada será exibida com a implantação da iluminação cênica.

 

 

Fotos: José Carlos Andrade

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Back To Top

You cannot copy content of this page