skip to Main Content

CAXIAS DO SUL – acadêmicos conhecem estrutura do Instituto Hospitalar Veterinário da UCS

Cerca de 40 estudantes, divididos em dois grupos, visitaram espaços que têm previsão de entrega para abril de 2022. Fotos: Bruno Zulian

Os acadêmicos do curso de Medicina Veterinária tiveram o primeiro contato, nesta segunda-feira, dia 21 de março, com as novas estruturas do Instituto Hospitalar Veterinário da UCS, localizadas no bloco 46 do Campus-Sede, em Caxias do Sul. Os cerca de 40 alunos da disciplina de Introdução à Medicina Veterinária, divididos em dois grupos, fizeram uma visita guiada às obras do novo complexo da UCS.   

Pelo prédio, devidamente protegidos com capacetes, os estudantes do primeiro semestre conheceram os espaços e ambientes de três dos quatro pavimentos. O andar superior ainda não permite visitação, por causa do andamento dos trabalhos para que a construção seja finalizada em abril. Mas, nos três primeiros andares, o que se viu foi uma estrutura de grandes proporções para acolher os animais da região.

No primeiro pavimento, foram apresentadas as instalações para exames de imagem; no mesmo andar, respeitando o isolamento que o espaço demanda, fica o setor destinado a doenças infecto-contagiosas. No segundo pavimento, os alunos conheceram os consultórios destinados ao atendimento clínico de cães, além das salas de internação, uma para cães e outra para gatos, e das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). No terceiro pavimento, os acadêmicos visitaram o bloco cirúrgico, com três salas para intervenções cirúrgicas, além das demais dependências para a recuperação dos animais; no mesmo andar, ficarão os consultórios destinados aos felinos.

Além do atendimento de animais domésticos, os locais foram pensados para intervenções de animais silvestres de pequeno porte e cirúrgicas de animais de estimação não-convencionais. No quarto e último pavimento, estarão localizados os Laboratórios de Análise Clínica e Parasitologia, além de outros espaços destinados aos demais laboratórios de apoio ao diagnóstico. 

O IHVET vai receber ainda um graffiti de 245 metros quadrados na fachada principal do prédio. 

Adequações necessárias – Para transformar o Bloco 46 em um Instituto Hospitalar Veterinário, foi preciso fazer uma remodelação nas salas, além disso, espaços característicos, como o bloco cirúrgico, ganharam instalações específicas, como ar condicionado com filtro, sistema elétrico e gases medicinais. Os ambientes do IHVET foram planejados para aliar as práticas educacionais aos serviços destinados à comunidade, associação indispensável para a prática profissional dos futuros médicos veterinários. 

Estrutura para os alunos e para a comunidade – “Vocês terão esse espaço para uso acadêmico e da comunidade”, projetou o coordenador do curso de Medicina Veterinária, Leandro do Monte Ribas, aos acadêmicos. A fala alegrou a estudante do primeiro semestre do curso Milena de Lima Agliardi, de 18 anos. Ela ficou impressionada com a estrutura que conheceu e observou que as novas instalações destinadas ao curso de Medicina Veterinária se destacam. “O Instituto Hospitalar Veterinário é uma inovação para a Universidade, para a cidade e para os alunos, tanto mais recentes no curso como veteranos”, frisou. 

O espaço para as doenças infecto-contagiosas foi o que mais chamou a atenção da jovem, entre os pontos de visitação do Instituto Hospitalar Veterinário. 

A visita – que teve Milena como uma das participantes – foi guiada pela arquiteta Bruna de Oliveira, da Gerência de Infraestrutura e Logística, e contou com a participação do professor André Felipe Streck, da disciplina de Introdução à Medicina Veterinária e coordenador do Mestrado Profissional em Saúde Animal, que auxiliou na explicação técnica sobre o IHVET. 

Sobre o IHVET

O Instituto Hospital Veterinário da UCS deve ficar pronto em abril de 2022. Ampliação da estrutura do curso de Medicina Veterinária potencializará a qualificação profissional e a prestação de serviços à comunidade, em um dos maiores complexos de saúde animal do Brasil. O instituto abrigará a clínica de pequenos animais (hoje localizada no bloco 47) com ambientes ampliados, o que ampliará as atividades clínicas e cirúrgicas com enfoque principal em cães e gatos; potencializará o tratamento de doenças infecciosas, o que demanda áreas específicas e de isolamento; aumentará a quantidade de especialidades veterinárias atendidas, a exemplo da oncologia; e os diagnósticos especializados a partir de técnicas mais avançadas em uma ala laboratorial, como de zoonoses, e o PCR em tempo real, que ainda não é realizado na região, exame que permitiu a primeira identificação de Covid-19 em felinos no Rio Grande do Sul; além de sediar serviços de bacteriologia, micologia, parasitologia e análises clínicas veterinárias. No mesmo bloco, salas de aula centralizarão as turmas da graduação (hoje concentradas no bloco 74) e terá sede a coordenação de curso.

Os ambientes ainda poderão ser ocupados, por locação, por profissionais independentes na realização de procedimentos clínicos e cirúrgicos, como o que já é feito nas clínicas e blocos cirúrgicos do curso.

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top