skip to Main Content

A palidez do planeta

A vida é, por si só, uma linda, rica e desafiadora aventura. Porém, nunca foi tão rica, tão linda e tão desafiadora como nos dias atuais: a Natureza está propondo aos seres humanos um instrumento único para que eles mostrem quem realmente são. A realidade atual, que não concede limites em seu trágico curso, determina a cada habitante racional da Terra a livre escolha de continuar vivo ou não.

Sem levar em conta raças ou cores de pele, vícios malignos ou belas qualidades, cotidiano de opulência ou miséria, localização geográfica ou regime político, ninguém deixa de estar falando consigo na linguagem do medo. E o medo desperta virtudes e defeitos, potencialidades íntimas voltadas para a solidariedade ou para o egoísmo, mostrando o que um mundo aparentemente cordial, antes do vírus, permitiu que ficasse escondido.

Porém, o significado dessa sombra que empalidece o planeta, nos leva à liberdade de juízo. Alguns se abrigam na comodidade, pouco nobre, de caça à culpados – o que é percebido quanto a dirigentes públicos envenenados pela demagogia ou cidadãos comuns amortecidos pela falta de amor ao próximo. São pessoas vítimas de seus próprios medos, da sua inconformidade com o baixo degrau moral em que foram lançadas e que, pobremente, usam cego apedrejar como instrumento individual de compensação.

Porém, a maioria dos integrantes da espécie humana, aproveita a ocasião para ser mais fraterna, mais gente, mais compreensível com o destino que lhe coube receber, mais gentil em se perdoar por aquilo de bom que não consegue ser.

Mas, há quem está se dando conta de que o mundo, como sempre foi, vive dentro de um Plano de Deus. Aí é lembrado, talvez nem tão pouco, o que pregou Jesus Cristo – e tanto faz se a análise é religiosa ou simplesmente histórica. Ele nunca se deixou atingir pelos marcos negativos que reconheceu que existiam à sua volta ou na construção universal. Manteve uma conduta sempre limpa, no meio de quanta sujeira pudesse existir. E se não fosse pelos paradoxos da sujeira que lhe cruzou os caminhos, não poderia ter demonstrado, de modo a percorrer os séculos, o quanto limpo Ele foi. Então, em humilde e benigna análise de tudo que está acontecendo hoje, é forçoso reconhecer que, para quem quiser, o Plano está ministrando uma aula bem fácil de compreender.

Essa matéria tem 1 comentários

  1. Palavras inspiradoras para refletirmos sobre a importância vital de “manter uma conduta sempre limpa”, seja qual forem as circunstâncias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top