skip to Main Content

Edson Erdmann, diretor artístico do Natal Luz de Gramado

Sr. Edson:

Devido a solicitações, encaminho questionamentos sobre o Natal Luz, os quais gostaria de suas colocações, até como forma justa, pois faço parte de um amplo grupo de cidadãos que questionam a realização da decoração e parte artística do Natal Luz de Gramado.

Lembro que no Natal Luz de 2015, já durante a coletiva, fiz várias críticas e questionamentos ao Prefeito Nestor Tissot. Fui amplamente criticada pelo meu posicionamento, principalmente pelos empresários da cidade. O senhor também não concordou com minhas colocações que foram publicadas nos veículos onde escrevo. Passado o Natal e, mesmo depois de várias matérias na mídia impressa, dizendo do sucesso, a realidade não correspondeu à expectativa. 

Certa manhã nos encontramos no Café Com Leite, onde o senhor pediu um dedo de prosa comigo e trocamos algumas opiniões, não chegamos a um consenso. O senhor e boa parte das pessoas envolvidas no Natal taxam minhas referências ao evento como ‘um apego ao Luciano e a Marlene Peccin’, no que respondo sistematicamente: sim, eu comparo o Natal que existia (feito por eles e uma comissão comunitária), com o que esta ocorrendo, no sentido da sensibilidade relacionada ao espírito que Gramado quer para seu Natal e, talvez sim, este espirito seja concretizado através da criatividade, qualidade, competência, amor, dedicação da família Peccin. 

Seguindo nossa conversa, lembro que sugeri a ‘aculturação’, entender o conceito do evento e seu espírito, de forma a ser validado por nossa comunidade que, sim, é exigente e, através de sua opinião, transformou Gramado no que é. Sugeri que o senhor montasse um ‘conselho de curadores voluntários’ da comunidade, para, antes de realizar o projeto, trocarem ideias, já que, ao que constava e consta, o poder decisório implantado pela Autarquia Gramadotur não corresponde  aos anseios da comunidade gramadense. Desta forma, voltaríamos a participar do Natal e seu espírito voltaria. 

O tempo passou e nada aconteceu!

Feita esta introdução, queremos a partir de agora ouvi-lo, com total liberdade, inclusive no que se refere a minha pessoa, já que sou uma crítica ferrenha do evento de 2015 e 2016. 

 

Entrevista

 

1) O que o senhor tem a dizer sobre a comunidade gramadense. Como é conviver com ela e suas críticas, questionamentos, sugestões e elogios:

EEE: Eu adoro conviver com a comunidade gramadense. Eu e minha família fazemos parte da comunidade gramadense. Somos gaúchos e desde o início dos anos 90, temos endereço residencial aqui. No começo, em função do trabalho, ficávamos menos do que gostaríamos, mas, hoje, nossos filhos estudam aqui, estamos perto dos amigos e dos familiares, temos o nosso trabalho. Mais do que planos, temos sonhos para Gramado e para as pessoas de Gramado. Críticas, questionamentos, sugestões e elogios fazem parte do dia a dia de qualquer cidade, de qualquer empresa. Queremos participar de tudo isso e ajudar a gerar renda, atrair investimentos e proporcionar emoção para as pessoas que, no fundo, é o que melhor sabemos fazer.

 

2) O senhor realizou um estudo sobre o Natal Luz, seu conceito e espírito que foi criado por sua comunidade, obtendo assim uma resposta para realização do seu trabalho junto à decoração e espetáculos?

EEE: Sim, o estudo foi o nosso ponto de partida. Conhecemos os desejos da comunidade. Em 2006, fomos convidados pela família Peccin, e viemos com uma grande equipe mapear o Natal Luz. Anos depois, mais precisamente em 2015, revitalizamos este processo, além de ouvir diretamente os anseios de quem fez, faz e convive com o Natal. Além das pesquisas que nos foram entregues pela Gramadotur. Com base em todas estas informações e nas condições, criamos o projeto artístico, com novos espetáculos – já que os anteriores estavam impedidos por respeito aos direitos autorais de quem os criou -, e homenagens e menções a todos que fizeram a história do Natal Luz. Para 2016, adaptamos tudo com base de prazo e orçamento.

 

3) Como funciona o seu trabalho de diretor artístico do Natal Luz. Pode nos especificar o que exatamente a empresa História Incríveis faz no evento?

EEE: As Histórias Incríveis Entretenimento é responsável pela criação do conceito do evento, roteiro dos espetáculos, direção artística dos espetáculos e do evento como um todo, projeto cenográfico, projeto de figurino, produção musical, coreografias, produção de arte, projeto de decoração e iluminação urbana. Temos também uma gerência de projeto e de produção, equipe técnica e audiovisual, além de assistentes de direção que trabalham em conjunto com o diretor, multiplicando seus braços para que dê conta de tantos eventos simultâneos. Nossa equipe envolve o trabalho de dezenas de pessoas.

Nosso trabalho consiste em criar e entregar, para o nosso cliente, a Gramadotur, os descritivos de cada um destes eventos: Eu Sou Maria, Natal pelo Mundo, Grande Desfile de Natal, Show de Acendimento e Decoração da Cidade. Neste ano não está sob nossa guarda a Vila de Natal nem a programação da Rua Coberta. Todo o projeto obedece, naturalmente, a um orçamento pré-determinado pela autarquia. É a Gramadotur a responsável por contratar, via licitação, das empresas que executem estes projetos artísticos – empresas de construção, produção, cenoctecnia, montagem, etc. Fazemos o acompanhamento desta execução, apontando divergências (se existirem) entre o projetado e o executado e fornecendo cronogramas ideais de execução, mas sem autoridade sobre as empresas contratadas, que respondem aos fiscais dos seus contratos. Esses fiscais são funcionários da Gramadotur.

Também faz parte do nosso escopo ensaiar o elenco e colocar os espetáculos em andamento, coordenando da House Mix, o “play” dos recursos de cada espetáculo: luz, som, projeções, entradas e saídas de cenários e elenco, disparo de fogos, etc – cada um destes elementos é fornecido por uma empresa diferente, que não foi nem escolhida e nem contratada por nós.

Em relação à 2015, nosso escopo artístico foi bastante reduzido, pois naquele primeiro ano tínhamos muito mais gerenciamento sobre o evento e uma equipe mais ampla. Tínhamos uma visão sobre o evento como um todo, que neste ano não temos. Neste ano, a Gramadotur assumiu diversas das funções que no ano passado foram exercidas por nós.

É importante ressaltar que o nosso escopo (artístico) não inclui a infraestrutura dos eventos: arquibancadas, acessos, atendimento ao público, venda de ingressos, segurança, etc. A Gramadotur possui um departamento especializado de engenharia e eventos que cuida destes tópicos.

 

4) Qual o investimento real do trabalho se e de sua equipe na realização do evento?

EEE: As informações relativas a receitas e despesas do evento são de responsabilidade e alçada da Gramadotur. Não temos autorização para falar sobre elas. O que posso dizer é que nosso contrato inclui a remuneração de 35 profissionais e mais 4 empresas que estão em mutirão, alguns desde fevereiro, outros a partir e de maio, até o prazo final que será em janeiro. Para a maioria são 10 meses de trabalho.

 

5) Qual o investimento na decoração da cidade? Como é feita a compra de material, é através de licitação? Enfim, explique como funciona a operação.

EEE: Como já mencionei, valores relacionados a receitas e despesas são de alçada da Gramadotur, não temos acesso a esses números, pois em 2016 não somos gestores do orçamento. Mas, de qualquer maneira, posso afirmar, pois é conhecido, que toda compra de material é sim feita por licitação. O que coube à Histórias Incríveis foi a entrega dos projetos descritivos que foram anexados aos projetos básicos, e analisados pela equipe da autarquia, para então serem publicados nos processos licitatórios.

 

A decoração do Natal Luz 2016 possui um projeto? Este foi apresentado para aprovação dos Conselheiros da Gramadotur, seu Presidente e seu Diretor de Eventos? Quando? Foi aprovado como esta sendo colocado na rua?

EEE: Sim, o projeto existe e o memorial descritivo está publicado no site da Gramadotur. Foi aprovado pelo presidente e pelo diretor de eventos da autarquia com sugestões e modificações. Sabemos que grande parte da execução foi prejudicada e o vencedor da licitação desistiu do projeto, o que acabou determinando contratações emergenciais, redução de prazos e corte de custos e modificações.

 

7) Existe uma argumentação, um roteiro para a decoração do Natal Luz 2016? Qual?

EEE: Certamente. O conceito era ir de encontro ao que mais os turistas buscam quando chegam a esta cidade: valorizar a estética do frio e proporcionar uma Gramado nevada, um Natal com neve, Europeu… Uma cidade que vende esta imagem do frio, do chocolate, do Natal e de tantas coisas mais que só se encontram por aqui. Juntando tudo, este era o conceito. Uma série de adaptações, no entanto, foram necessárias, como já dito, para contemplar o orçamento e os prazos, assim como as condições licitatórias da contratação de fornecedores. 

 

8) O que aconteceu com a decoração da rótula entre a Rua Senador Salgado Filho e Avenida Borges de Medeiros? Por que motivo foi retirado?

EEE: Está contemplada no projeto, mas creio que ainda não foi instalada por problemas na rede elétrica urbana.

 

10) As guirlandas de pet, assim como o restante da decoração deste material, estão inseridas neste roteiro, se ele existe, e de que forma? Foi feita uma revitalização neste material? Ao que parece não.

EEE: Sim, todo o acervo do Natal (o que existia nos galpões) que sempre foi a cara do Natal Luz, estão incluídas. Evidente que no material descritivo, solicitamos sua revitalização. O prazo para finalização da montagem da decoração ficou para 25 de novembro, devido ao contrato emergencial.

 

11) Qual o investimento na decoração do Natal Luz 2016? Isso é pago através de licitação?

EEE: As informações financeiras do Natal Luz são de responsabilidade e alçada da Gramadotur.

 

12) O apelo do ano passado foi: ‘Aqui Voltamos a Acreditar em Papai Noel’ e neste ano, ‘ O Maior Natal do Mundo’. Baseado em que o senhor faz estas afirmações. A primeira, na minha visão, destituindo o trabalho que foi realizado pela comunidade gramadense e tornou o Natal Luz conhecido no mundo inteiro. A segunda seria baseada em quê?

EEE: Ao contrário. No ano passado o slogan do evento era “Aqui eu volto a acreditar na Magia do Natal”, uma referência ao espaço de exceção que Gramado proporciona ao turista quando ele chega aqui: Um lugar, longe do seu dia a dia, onde ele se permite voltar a ser criança e acreditar na magia do Natal, do Papai Noel, do amor, da união familiar. Este conceito foi uma grande homenagem a quem criou este evento. No inicio e durante muitos anos, as famílias envolvidas neste projeto, trabalhavam com esta ideia. Voltar a acreditar na magia do natal é uma homenagem direta a quem fez esta história acontecer. Hoje, neste ano, seguimos com o mesmo conceito, usando também o slogan “O Maior Natal do Mundo” sugerido pela autarquia. Em uma série de pesquisas nas festas de Natal promovidas por cidades ao redor do mundo, observou-se que nenhuma disponibilizava um calendário tão extenso. Esta ideia está ligada ao imaginário de que é uma festa inesquecível, cheia de atrações e com a duração de quase três meses. É certamente um Natal grandioso e Gramado pode se orgulhar disso!

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top