skip to Main Content

Tela Tomazeli l Editora

RS deverá ter 10 mil novos cidadãos italianos até início de 2024

Consulado Geral da Itália em Porto Alegre, estado tem 4 milhões de descendentes, mais de um terço da população gaúcha e 110 mil já possuem cidadania

 

O número de pessoas que moram no Rio Grande do Sul com Cidadania Italiana já é maior que a quantidade de italianos que chegaram no estado ainda no Século XIX durante o processo migratório. Os 84 mil imigrantes da época no estado se transformaram em mais de 4 milhões de descendentes que não apenas valorizam, mas preservam a cultura de seus antepassados. A busca pela Cidadania Italiana tem sido prática de muitas famílias que veem no reconhecimento uma forma de manter viva a história do seu núcleo familiar, além de permitir que seus filhos tenham acesso a universidades do continente europeu, saúde, segurança e residência, entre outros benefícios. Aliado ao expressivo aumento pela busca da dupla cidadania também está o interesse do Consulado Geral da Itália em Porto Alegre de agilizar a liberação em cerca de 5 mil processos ao ano, podendo beneficiar de 10 a 15 mil pessoas.

 

A projeção feita pelo Cônsul-Geral da Itália em Porto Alegre, Valerio Caruso, é de que 10 mil novos cidadãos italianos sejam reconhecidos no estado até os primeiros meses do próximo ano. “Vamos chegar a 120 mil Cidadãos Italianos no Rio Grande do Sul. A lei italiana é generosa e concede muitos direitos. Nosso objetivo é trabalhar para liberar 5 mil por ano. Estamos, inclusive, fazendo ações de interiorização, descentralizando o Consulado. Assim, estamos mais presentes e próximos dos descendentes”, destaca. Caruso ressalta que com o aumento da procura pela cidadania é importante estar atento e escolher assessorias com experiência e profissionalismo. “Este mercado cresceu muito e a escolha certa é fundamental para evitar contratempos, gastos desnecessários e processos com falhas na documentação”, assegura.

 

Procura dobra em seis meses

Impulsionada pela pandemia e pelas eleições, a procura pela Cidadania Italiana chegou a dobrar em seis meses no RS. Este é o caso da Avanti Cidadania, escritório internacional de consultoria jurídica, com unidades em Garibaldi, na Serra Gaúcha, e em Verona, na região do Vêneto, na Itália. Reconhecida com o prêmio de Melhor Empresa da Categoria pelo Melhores do Sul, a Avanti Cidadania possui uma equipe multilíngue de oito profissionais especializados no assunto que atuam no Brasil e na Itália. Entregando solução completa, sem surpresas ao longo do caminho, a empresa registrou 480 contatos no primeiro semestre de 2023 contra 216 no mesmo período do ano passado, um incremento de 123%. A maior procura se dá em cidades da Serra Gaúcha onde existe uma grande concentração de famílias com descendência italiana.

 

 

Este aumento reflete a insegurança de brasileiros que buscam um plano B, além de pensar num futuro melhor para os filhos com facilidade para circular na Europa, estudar em ótimas universidades e trabalhar no continente, por exemplo, indo além de se conectar com suas origens. A frente da Avanti Cidadania está Nátali Lazzari, especialista em Genealogia, que por residir há anos em Verona agiliza e qualifica as atividades dando ritmo aos processos. “Cuidamos de cada etapa, do início ao fim. Nossa jornada é incessante e detalhista, pois a documentação precisa estar completa”, explica.

 

A Cidadania pode acabar?

A explosão na busca pela dupla cidadania também se explica devido a tramitação de um Projeto de Lei que, se aprovado, deve endurecer as regras para quem deseja obter a cidadania. Em andamento desde o dia 7 de junho, o projeto de autoria do senador Roberto Menia, do partido Fratelli d’Itália, o mesmo da Primeira Ministra Giorgia Meloni, propõe a restrição do reconhecimento de Cidadania para até a terceira geração (bisneto). A proposta prevê ainda a necessidade de exame de proficiência de língua italiana em nível B1 para qualquer descendente e residência por um ano para descendentes a partir da terceira geração que é o caso de mais de 90% dos gaúchos. Nátali conta que a preocupação é grande e que é preciso correr. Segundo ela, especialistas alertam que o texto possui grandes chances de ser aprovado. “É hora de iniciar e agilizar processos. Este tipo de projeto não é novidade na Itália, só que agora ele veio de um Senador da base governista, ou seja, tem grande apoio do Congresso Italiano, que é maioria”, alerta.

 

Foto: Divulgação

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Back To Top

You cannot copy content of this page