skip to Main Content

Colunista l casagrandegilneiricardo@gmail.com

Construção do Cine Embaixador – Parte 5

[…]

Uma das lástimas que contribuem para que ocorram os hiatos de eventos de grande duração como este que estamos tratando é que os registros, entre eles, o próprio depoimento, quer da comunidade quer das pessoas envolvidas diluem-se no tempo e este, é inclemente na medida em que ele (o tempo), entrega aos sujeitos o “dever e a obrigatoriedade” do registro por menores e mais insignificantes que possam ser. Um dia, este conjunto de fragmentos, terá utilidade para reconstruir o passado desejado. Seria interessante uma passagem pela obra O Queijo e os Vermes, de Carlo Ginzburg (1976), e saberão do que estou falando.

 

Neste particular, a reconstrução de uma das páginas mais salientes da historiografia de Gramado deve-se ao final do governo Arno Michaelsen (com a criação do COMTUR), e de todo o mandato de José Francisco Perini e Almeri Peccin que administraram o município com visão de desenvolvimento e, neste contexto, estava a construção do cinema. Aqui, exatamente dentro desta moldura histórica, encontra-se o acervo familiar amealhado por Perini o qual sou curador. Das várias leituras e dos vários ângulos, qualitativo ou quantitativo que se faça, o acervo documental revela uma obstinação pelo crescimento do município. A grande marca física deixada está exatamente no ponto zero do município, o Hotel Serra Azul

 

[…]

A Ata nº 09/64 do dia 06.06.64 refere a presença do Engenheiro Celso Bertolucci, especialmente convidado para “conferenciar com os conselheiros e convidados especiais a respeito do projeto do cinema de Gramado que seria por ele elaborado”.

 

Consta da mesma ata outra informação relevante: a compra de uma faixa de terras com “tres metros de frente por 48m de fundos ” de propriedade da Mitra Diocesana. ” Como não poderia deixar de ser, a resposta tão alvissareira estourou, como se fosse uma bomba de alegria levando a todos a estender o seu cumprimento ao vigário pelo êxito alcançado na missão”. Com a resolução desta negociação o episódio permitiu o andamento da edificação.

 

O futuro cinema de Gramado estaria ao lado do Hotel das Hortênsias e do Parque Hotel (hoje Secretaria de Cultura), sendo o terceiro ambiente com calefação, preocupação esposada pelo prefeito José Francisco Perini ” Pedindo um aparte, o sr. José Francisco Perini foi positivo em impor que  saia logo a calefação, não para o próximo verão, mas para o próximo inverno.

 

 

 

 

“A responsabilidade pelo conteúdo é única e exclusiva do autor que assina a presente matéria”.

Gilnei Casagrande

Colunista l casagrandegilneiricardo@gmail.com

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Back To Top