skip to Main Content

Tela Tomazeli l Editora

Parque do Pinheiro Grosso fica mais próximo da abertura ao público 

Concessionária deverá aportar R$ 50 milhões no projeto 

 

Uma das maiores atrações naturais da Serra Gaúcha ficou mais próxima de ser liberada à visitação pública. É que a partir da assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado no dia 20 de outubro entre o Ministério Público, Prefeitura de Canela e Incorporadora Novalternativa, haverá maior rapidez na liberação da concessão do Parque do Pinheiro Grosso. 

 

 

Pelo acordo, a Prefeitura de Canela enviará até o final de outubro um projeto de lei para a Câmara de Vereadores propondo a concessão do parque para a Novalternativa, pelo prazo de 30 anos, a partir da emissão da Licença de Operação. Pelo projeto anterior, assinado em 2019, o prazo era de 25 anos, mas diante dos prejuízos da concessionária com o atraso das liberações municipais, o prazo foi ampliado. 

 A maior atração do parque será, naturalmente, o Pinheiro Grosso. Calcula-se que ele tenha mais de 700 anos, com uma altura de 48 metros, diâmetro é de 2,75 metros e circunferência é de 7,5 metros. Para fechar um círculo em volta da árvore, são necessárias cerca de 12 pessoas. Além de melhorar os acessos, a Novalternativa irá construir uma torre de observação na área de 125 mil metros quadrados do parque. 

Para o promotor Max Roberto Guazzelli, “o Termo de Ajustamento de Conduta representa “a capacidade de atuação resolutiva em prol do bem comum”. Ele destaca que o acordo encaminha uma solução para um imbróglio administrativo, “ou seja, o Ministério Público ajusta um acordo em que Município de Canela e concessionária obterão a viabilidade administrativa do negócio”.  

 Guazzelli ressalta ainda que a concessionária receberá um prazo maior de concessão para compensar “os prejuízos decorrentes de equívocos de levantamentos ambientais, que dificultaram o licenciamento”, e o município, a partir da abertura do parque, passará a receber percentual sobre os ingressos. O promotor destaca, ainda, que “em decorrência dos equívocos nos levantamentos das áreas de preservação permanente (APPs), a torre de observação, ficará dentro de uma delas”. “Assim, com o acordo, ajusta-se esse item complicado, justificando-se a instalação para manutenção do equilíbrio econômico e financeiro da operação, e por ausência de alternativa locacional, respeitada a distância mínima de 15 metros da nascente entre outras condicionantes, e pelas características do parque, quais sejam, os olhares voltados para o ecoturismo e a educação e a valorização ambiental”, destaca Max Guazzelli. 

 Este último aspecto também é destacado por Ricardo Henriques, advogado da Novalternativa. “Haverá estrutura para educação ambiental e atividades direcionadas a práticas sócio ambientais, fazendo com que a população se sinta parte deste completo natural”, afirma Henriques. 

 De acordo com dados preliminares feitos pela Novaalternativa, deverá ser investido um total de R$ 50 milhões no Parque do Pinheiro Grosso de Canela. 

Conteúdo: Insider

Foto: Divulgação

Gramado Magazine

Tela Tomazeli l Editora

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Back To Top