skip to Main Content

1998 – 26ª Festival de Cinema de Gramado

Melhor Filme: “Pizza, Birra, Faso”, de Bruno Stagnaro e Israel Caetano

Cuatro amigos. Una ciudad. Una única salida… El Cordobés vive con sus tres amigos y su mujer embarazada, Sandra, en la misma casa. Esta banda de adolescentes marginales pulula por Buenos Aires viviendo del robo, pero siempre dependen de alguien que los emplea y les quita la mayor parte del botín. La filosofía de vida del Cordobés y los suyos parece ser que mientras no falten la pizza, cerveza y cigarrillos, todo es soportable.

Melhor Filme (Júri Popular): “Amores”, de Domingos de Oliveira

Prêmio da Crítica: “Amores”, de Domingos de Oliveira



LONGA-METRAGEM

Melhor Diretor: Bruno Stagnaro e Israel Caetano, por “Pizza, Birra, Faso”

Melhor Ator: Ricardo Couto, por “Otário”

Melhor Atriz: Maria Izquierdo e Elsa Toblete, por “Historias de Fútebol”

Melhor Ator Coadjuvante: Mario Lozano, por “O Toque do Oboé”

Melhor Atriz Coadjuvante: Beatriz Valdez, por “La Voz del Corazón”

Melhor Fotografia: Elso Roque, por “O Rio do Ouro”

Melhor Roteiro: Bruno Stagnaro e Israel Caetano, por “Pizza, Birra, Faso”

Melhor Música: Edelsio Alejandro, por “Tropicanita”

Melhor Montagem: Mirita Lores, por “Tropicanita”

Melhor Cenografia: Inês Olmedo, por “Otário”

Melhor Figurino: Francisco Zorrilla, por “Otário”

CURTA – METRAGEM

Melhor Curta-Metragem Nacional: “O Trabalho dos Homens”, de Fernando Bonassi, e “Um Dia e Logo Depois Um Outro”, de Nando Olival e Renato Rossi

Menção Honrosa: “O Nordestino e o Toque de Sua Lamparina”, de Ítalo Maia

Prêmio Canal Brasil: “5 Filmes estrangeiros”, “Não Me Condenes Antes Que Explique”, “O Trabalho dos Homens”, “Novembrada” e “Clandestina Felicidade”

Melhor Filme Júri Popular: “Novembrada”, de Eduardo Paredes

Prêmio da Crítica: “Clandestina Felicidade”, de Beto Normal e Marcelo Gomes

Prêmio Especial do Júri: “A Mãe”, de Fernando Belens, e “Umbelino Brasil, e 5 Filmes Estrangeiros”, de José Eduardo Belmonte

Melhor Diretor de Curta Metragem: Fernando Bonassi, por “O Trabalho dos Homens”

Melhor Roteiro de Curta-Metragem: Fernando Bonassi e Victor Navas, por “O Trabalho dos Homens”

Melhor Ator de Curta-Metragem: Márcio Ribeiro e Gustavo Engracia, por “Um Dia e Logo Depois Um Outro”

Melhor Atriz de Curta-Metragem: Luiza Phebo, por “Clandestina Felicidade”

Melhor Fotografia de Curta-Metragem: Renato Rossi, por “Um Dia e Logo Depois Um Outro”

Melhor Montagem de Curta-Metragem – João Paulo Carvalho, por “Happy Hours”

Melhor Música de Curta-Metragem: Bernardo Palmeiro, Pedro Serra e Tom Capote, por “Histórias de Avá – O Povo Invisível”

Melhor Direção de Arte de Curta-Metragem: Cristiano Amaral, por “Novembrada”

16MM

Melhor 16 mm – “Caminho das Onças”, de Sérgio Sanz

Melhor Direção 16 mm: Gustavo Spolidoro, por “Velinhas”

Prêmio Especial do Júri: “Geraldo Filme”, de Carlos Cortez

Melhor Atriz 16 mm: Cléo de Paris, por “A Vida do Outro”

Melhor Ator 16 mm: Fernando Alves Pinto, por “4 Minutos”

Prêmio Especial do Júri: “Velinhas”, de Gustavo Spolidoro

Melhor Filme/Prêmio Assembléia Legislativa: “O Trampolim”, de Fiapo Barth

Prêmio Prawer: Léo Henkin, pela música de “A Reunião dos Demônios”

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top