skip to Main Content

A Carriére e a roda gigante

E não é que a insistência voltou? O interesse de plantar uma roda gigante em cima da Carriére invadiu, literalmente, os bastidores do Conselho do Plano Diretor.

Compreendemos e respeitamos os méritos das inciativas empresariais como geradoras fundamentais das riquezas do país. Porém, esperamos que sejam artífices imbuídos de ética, para engrandecimento de um lugar e não predadores de sua essência econômica e insensíveis à sua dignidade histórica.

Gramado vive a indústria do turismo bem-sucedido e ele foi edificado sobre exigente capricho ambiental.  Assim, permitir que uma vulgar roda gigante seja inserida dentro da Carriére descaracterizaria todo o bairro Planalto como maravilha natural que ele é, e com repercussões negativas sobre a cidade inteira. Hoje, as multidões que buscam o lago Negro são atraídas pelo meio ambiente natural conservado, beleza essa já muitas vezes defendida de incursões econômicas predatórias – por exemplo, a gigantesca torre que queriam levantar dentro da praça Maldonado.

Vamos dar um trato à nossa imaginação. Normalmente, as ruas na volta do parque do lago são maciçamente ocupadas por veículos de todos os tipos. Caso seja implantada a roda gigante, a visitação aumentará muito, especialmente de ônibus de excursões e carros que chegariam pela manhã e sairiam à tarde. Em torno desse novo empreendimento vendedores ambulantes, bares, restaurantes populares e outras unidades comerciais de ocasião seriam estabelecidas.

Cuidadosas previsões estatísticas mostram que a região envolvida não teria como absorver o impacto desse acréscimo, transformando-se em desorganizado núcleo urbano periférico. E coberto pela tristeza de ver um dos mais queridos símbolos turísticos da cidade desaparecer para, em seu lugar, ser instalado um reduto de interesses completamente em desacordo com o requinte empresarial praticado pelas empresas gramadense de maior sucesso.

Sinceramente, será que alguém que ama Gramado está de acordo que a ilustre Carriére seja transformada em um parque de diversão?

Romeo Ernesto Riegel

Essa matéria tem 3 comentários

  1. Será uma perda de um espaço que ainda luta para ser o mais natural possivel. Pensar grande é pensar em não destruir o que nos faz grande.

  2. Concordo plenamente. O que uma roda gigante tem a ver com a arquitetura e o verde de Gramado? NADA! Agora, se é para avacalhar com a cidade…

  3. Concordo em gênero, numero e grau. A instalação de tal roda gigante na Carrieri e totalmente inviável! Não tem espaço para comportar tudo. Em dias de movimento ja se percebe o acumulo de carros e o transito intenso no.entorno do Lago Negro, imagina com mais essa aberração? Acabaria de vez com o que ainda resta de paz nesse belo bairro. Só se pensa em ganhar dinheito nessa cidade. Se continuar dessa forma, em.breve não sobrará cidade para ganhar dinheiro. Temos que preservar o que ainda resta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top