skip to Main Content

Corsan apresenta plano de ação para enfrentar crise de desabastecimento de água em Gramado

O presidente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), Roberto Barbuti, e o diretor de Operações, André Finamor, apresentaram na quarta-feira, 29, um plano de ação que prevê investimentos de R$ 240 milhões na Região das Hortênsias – R$ 90 mi em água e R$ 150 mil em esgoto. O encontro foi no auditório da Prefeitura, na presença do prefeito Fedoca Bertolucci (PDT), Caio Tomazeli, do Gabinete do Governador, representando o governo do Estado, e diretores de áreas da Corsan.

Publico. Foto: Carlos Borges

Segundo explicou o presidente da Corsan, o funcionamento do sistema de abastecimento integrado das Hortênsias tem a água captada em São Francisco de Paula, o tratamento em Canela e a distribuíção para Canela e Gramado. Disse, ainda, que, em virtude de ações executadas desde 2018 nas duas cidades, houve acréscimos de 20% na produção média diária das duas Estações de Tratamento de Água (ETAs), 34% no volume aduzido para Gramado, 70% na reservação de Gramado e 40% na reservação de Canela

– As ações já executadas pela Corsan, embora significativas, não foram suficientes para atender à demanda de Canela e Gramado. Contribuíram para o cenário fatores como o crescimento da região (cujo percentual de economias faturadas nos últimos cinco anos subiu 14,5% em Canela e 35% em Gramado, em comparação com o índice geral da Corsan, de 8,5%), agravado pela maior temperatura registrada nos últimos 103 anos em dezembro – citou.

ÁGUA

O diretor de Operações, André Finamor, dividiu o plano de ação da Corsan em três etapas, projetando que com as ações a disponibilidade de água para o sistema integrado das Hortênsias terá um salto gradativo de 48% em dezembro de 2020, 65% em dezembro de 2021 e 77% em dezembro de 2024, assim como a adução de água tratada para Gramado aumentará, nos mesmos prazos, em 75%, 100% e 150%, respectivamente.

A primeira etapa do planejamento, com investimento de R$ 33,5 milhões, prevê as seguintes ações (conclusão em 2020): captação de água no Aquífero Guarani, por meio de dois poços com vazão estimada de 100 l/s, gerando o aumento de produção de forma interligada; criação de um subsistema para a Várzea Grande (com um dos poços citados e um reservatório de 2 milhões de litros, ampliando a produção e oferecendo maior segurança com a redundância do sistema); aumento de produção de água tratada na ETA II de Canela, com a instalação de três ETAs compactas, totalizando mais 90 l/s; e primeiro trecho da adutora de água bruta (2 km) até a ETA II de Canela, com cerca de 6,5 quilômetros de extensão total.

A segunda etapa, com investimentos de R$ 23 milhões, a ser concluída em 2021, contempla ações como a complementação da referida adutora de água bruta (4,5 quilômetros); primeiro trecho de nova adutora de água tratada entre Canela e Gramado, com 5,5 quilômetros da ETA 2 até o entroncamento da adutora existente na Vila Suzana, um reservatório adicional de 2 milhões de litros e equipamentos acessórios na ExpoGramado, beneficiando diretamente o Bairro Moura, o Bairro Dutra, Morro dos Cabritos, Bairro Piratini, Bairro Planalto e parte do Centro; e o terceiro trecho da duplicação da adutora de água tratada, com 3,5 quilômetros do Booster da Florybal até o reservatório a ser construído na ExpoGramado.

Na terceira etapa, com investimento de R$ 33,5 milhões e conclusão prevista para 2024, estão programados o segundo trecho da duplicação da adutora de água tratada entre Canela e Gramado, com 4,6 quilômetros do entroncamento da adutora existente na Vila Suzana, até o Booster Florybal; a ampliação geral da produção de Canela, com a ampliação da Estação de Bombeamento de Água Bruta no Poço da Faca para 600 l/s e a duplicação do bloco hidráulico da ETA II de 300 para 600 l/s; e um reservatório adicional de 2 milhões de litros e equipamentos acessórios para a região de saída para Nova Petrópolis (Aspen).

ESGOTO

Para o esgotamento sanitário, a fim de elevar os índices de cobertura de esgoto (32% em Gramado e 16% em Canela), a Corsan está instalando as ETEs Ávila e Santa Terezinha e implantando redes coletoras e quatro ETEs compactas – o que deve elevar os índices de esgoto tratado para 55% em Gramado, até 2023, e para 50% em Canela, até 2022.Para universalizar o tratamento de esgoto, a CORSAN busca uma Parceria Público-Privada (PPP), cujo leilão está previsto para o fim de 2020. Conforme o presidente Barbuti, a iniciativa segue a experiência de sucesso obtida com a PPP do saneamento na Região Metropolitana de Porto Alegre.

PREFEITO

O prefeito Fedoca Bertolucci avaliou positivamente a apresentação do plano de ação, fazendo referência à pronta resposta da Corsan diante da cobrança de providências feita pelo Executivo no final de 2019 – inclusive tendo sido admitido, na época, a adoção de medidas judiciais por parte do Município..

Conforme Bertolucci, com o plano a expectativa, a partir de agora, é sobre os efeitos no sentido de superar a inadmissível falta de água em Gramado.

O ato, no auditório da Prefeitura, foi prestigiado pela presidente da Câmara Municipal, vereadora Rose Ecker Schmitt, os vereadores Renan Sartori (MDB), Professor Daniel (PT), Manu Costa (Republicanos), secretários municipais, lideranças empresariais e comunitárias. Texto: Roque Tomazeli (com informações da Corsan)

Essa matéria tem 0 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Back To Top