Um ano no topo do Rio Grande do Sul

O Monte Negro ao fundo e o cânion homônimo em primeiro plano, em São José dos Ausentes. Crédito Vitor Hugo Travi

 

Expedição ao ponto mais alto do Rio Grande do Sul durante o período de um ano, registrando a natureza no mais espetacular cenário gaúcho.

 

Apoio: Jornal Nova Época e Pampeana Produções Ambientais

Vitor Hugo Travi

 

Objetivo

Realizar uma série de quatro expedições a região do Cânion Monte Negro, em São José dos Ausentes – RS, para fotografar e escrever sobre as mudanças impressas na paisagem, na flora e na fauna ao longo das quatro estações do ano.

 

Resultado esperado

Para cada estação do ano serão feitos registros fotográficos e produção de textos para publicação semanal no jornal Nova Época de Canela – RS, com um total aproximado de até trinta dias por estação, totalizando 120 dias de campo ao longo de um ano. Este material poderá ser compilado e transformado em um livro com o título provisório “A dinâmica da natureza na região do cânion Monte Negro”, onde serão incluídos fotos dos ambientes nas quatro estações, da fauna e da flora e suas alterações de cores, formas e texturas provenientes de adaptações ao rigor do clima e da altitude do local.

 

Por que no Monte Negro

O Monte Negro é um pico que existe na borda oeste do cânion homônimo no interior do município de São José dos Ausentes, sendo ali o ponto mais alto do Rio Grande do Sul, com 1.397 metros acima do nível do mar. Os invernos são severos com freqüentes registros de neve e geadas, baixa densidade demográfica e uma natureza muito rica e diversificada, fazendo deste local um dos mais interessantes e originais para estudos da dinâmica da natureza.

 

Local dos trabalhos

A base dos trabalhos será a sede de uma fazenda que fica ao pé do Monte Negro, em sua face oeste, na localidade conhecida como A Pipa. Ali será montado uma infra estrutura adequada para a realização dos trabalhos de campo para suportar as baixas temperaturas do inverno e primavera, ficando distante cerca de 50 quilômetros da sede do município.

 

Cronograma de atividades (passível de alterações de acordo com as condições climáticas)

 

Data das expedições

Atividades

Inverno 2016

1ª - 20 de junho a 4 de julho

2ª - 29 de julho a 15 de agosto

Fotografar fauna, flora e paisagem; escrever seis colunas para o jornal; produzir textos para o livro

Primavera 2016

3ª - 18 a 30 de setembro

4ª - 16  a 31 de outubro

Fotografar fauna, flora e paisagem; escrever seis colunas para o jornal; produzir textos para o livro

Verão 2016/17

5ª - 10 a 22 de dezembro

6ª - 15 a 31 de janeiro

Fotografar fauna, flora e paisagem; escrever seis colunas para o jornal; produzir textos para o livro

Outono 2017

7ª - 18 a 31 de março

8ª - 16 a 30 de abril

Fotografar fauna, flora e paisagem; escrever seis colunas para o jornal; produzir textos para o livro

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.