Será nesta quinta-feira (20), a partir das 8h15, na ExpoGramado, o Seminário de Planejamento do Natal Luz 2017/18. De acordo com o convite que circula nas redes sociais e WatsApp, não vimos na mídia impressa, o objetivo é a participação da comunidade para contribuir com a concepção do evento.

Serão abordados temas como: decoração, shows, logística, marketing e comunicação. A decisão do ‘Conselhão’ e da presidência da Gramadotur vai ao encontro das seguidas solicitações da comunidade que, apesar das pesquisas apresentadas no último evento terem sido positivas, aparentemente, pelas críticas, não responde a expectativa da comunidade gramadense.

Além da importância da participação da população, é fundamental que cada pessoa tenha objetividade em suas pontuações.

 

Ao nosso ver são muitos os quesitos a serem apresentados como:

Qual o objetivo do Natal Luz de Gramado? Arrecadação financeira ou qualidade? É possível unir os dois? Como?

O que queremos para o Natal Luz exatamente, quando falamos na participação da comunidade?

Que tipo de decoração diurna e noturna queremos? Que tipo de material deve ser utilizado na decoração? Como a comunidade pode participar em sua forma privada?

Qual o tamanho e a temática dos espetáculos? Erudito, popular, lúdico, intimista...

Que público é o ideal para visitar Gramado no Natal Luz? Qual a faixa salarial e de escolaridade?

Como lidar com a situação dos vendedores ambulantes, sendo que, os próprios empresários gramadenses (não generalizando), possuem seus funcionários panfletando nas ruas?

Que público interno temos que atender com o resultado do Natal Luz, este, influenciador nas decisões do tamanho do evento: agências, restaurantes, hotéis, comércio e, os investidores da construção civil?

Qual é o foco de turista para Gramado, quando falamos de patrimônio imaterial. A imagem da cidade que está sendo perpetuada nos últimos 5 anos?

E a questão da licitação, do pregão, tão mencionada quanto se fala na dificuldade para realizar um evento de qualidade?

E a mobilidade urbana. A logística deve ser feita pelo municipio ou pelo evento?

O Natal Luz deve sustentar a Festa da Colônia, o Festival de Cinema, o Festival de Gastronômia, a Páscoa em Gramado e outros? Por que?

Sim, ao nosso ver é amplo o debate e as sugestões neste seminário e vai depender dos presentes o bom aproveitamento.

Tens algo a dizer? Faça-o abaixo! As respostas não são identificadas, nem pela editoria da Revista.

 

 

Seminário do Natal Luz

Realizado em 20 de abril de 2017

 

Foi um resultado positivo quando falamos das presenças, creio que no mínimo uma 250 pessoas estiveram na ExpoGramado, em sua maioria empresário e fornecedores de serviço, interessados na condução do evento e, obviamente nos seus interesses. Passei voando para fazer minha sugestões em três salas, Artístico, Decoração e Logística.

 

Cito as minha sugestões para que você saiba prezado Leitor

Decoração – Contratar Claudia Casagrande para fazer o projeto de decoração e acompanhamento da execução e, empresas locais para esta execução. Realizar uma campanha comunitária para que comercio, hotéis, restaurantes e residências decorem suas fachadas com luzinha e, que seja visto de imediato um fornecedor para facilitar o valor do produto para isso. Ofertar lista de mão de obra de eletricistas para que façam o trabalho a valores justos. Que o Natal tenha uma concepção e esta seja trabalhada em todos os atrativos e decoração. Que a Festa dos Pinheiros (Tannembaumfest) tenha mais rigor, colocando passarela em toda a sua extensão, que as empresas sejam responsabilizadas pelos danos que causam nos vaso e, que mesmo os patrocinadores, tenha data para montagem e desmontagem...

 

Artístico

Que o espetáculo fale por si e, parem de gritar através da locução. Carros do desfile na proporção do espaço a ser desfilado, elenco com um enredo dentro do propósito de desfile; que os espetáculos sejam montados na proporção dos espaço, como exemplo o Lago Joaquina Rita Bier que nos últimos dois anos foi desfigurado. Acabamento, detalhes. O evento deve encantar de seu caminho a sua execução. Que seja feito uma pesquisa junto aos lojistas/hotéis/restaurantes da Avenida das Hortênsias sobre a volta do Desfile para a rua. Estudar a utilização do Serra Park, que possui estacionamento, lagos e, pavilhões que podem perfeitamente abrigar e preparar um lindo local para os espetáculos Neste sentido, a população iria sentir falta da ‘muvuca’ do centro e ai temos um dilema...

 

Logística

Que os artistas tenham um local para estacionar seus carros e um coletivo para leva-los e buscá-los nos espetáculos. Que seja buscando junto a iniciativa privada um coletivo para passar em todos os hotéis para buscar e levar os hóspedes. Não podemos trabalhar Gramado sozinho, somos passagem para Canela, temos que tratar deste assunto em conjunto, inclusive com as datas dos grandes espetáculos que trazem mais público. Campanhas junto à comunidade reiterando que passem a utilizar e estacionar o mínimo possível seus carros no centro, isso inclui as escolas que estão no centro, aglutinar caronas ou vans durante o período. Incentivar a utilização do transporte dos hotéis, restaurantes, bicicletas, e a pé, para que o turista deixe seu carro no hotel. Os táxis também devem ser utilizados, porém, o que vemos nas ruas são motoristas enlouquecidos que não conseguem atender a demanda. Tirar a mentalidade da utilização dos carros, que é uma tendencial mundial, e Gramado continua com esta cultura. O trânsito deve ter um setor especifico no Natal Luz, com guardas fornecidos pelo evento, pois os municipais hoje existentes não comportam a demanda. Toda logística de montagem e reparos (que não tenha barulho) deve ser feita entre 0:00h e 6 h da manhã.

 

Outra questão

Que analisei é sobre a licitação e a licitação com pregação, esta última que a Gramadotur tem realizado para baixar preço e, com isso, deixando a qualidade abaixo do necessário. Também o quesito que trata dos projetos, que seja determinado um teto para a realização do projeto, desta forma não tem a desculpa que o mesmo foi apresentado e ficou acima do valor possível causando assim adaptações para chegar ao possível.

 

As datas

No último Natal Luz a licitação foi feita dia 9 de outubro, quando o Natal iniciaria no final do mês. Obviamente não existiria tempo hábil para nada, nem para os recursos.  Os eventos devem ser planejados (valor a ser investido, projetos dos espetáculos e decoração, apresentação ao Conselho Gestor e agora, a Comissão Comunitária, feita por pessoas que não estão ligadas a entidades) no mínimo com 5 meses de antecedência.  A Gramadotur deve ter equipes para cada evento, que tratem o ano todo dos mesmos.

 

O Natal deve pagar?

O Festival de Cinema, a Festa da Colônia, a Páscoa em Gramado, O Festival de Cultura e Gastronomia, o Gramado in Concert e, as reformas necessárias na Gramadotur? Em minha opinião não! Cada evento deve se auto sustentar, de outra forma, o Natal Luz terá que ser sim, um gerador de muito dinheiro e pouca qualidade.

 

A ExpoGramado

Está em situação de pequenos reparos e em mau estado de conservação. A GramadoTur  (Natal Luz) deve pagar por isso  e pela finalização de mais um pavilhão? A meu ver este aporte deve vir da Prefeitura Municipal de Gramado. E o valor cobrado dos hospedes que, se não me engano é de R$ 2,00 a diária, revertido para a realização dos eventos acima citados, menos o Natal.

 

Enfim

Mais coisas que foram ditas por mim e por outros, vamos aguardar a compilação de resultados da Gramadotur. Inclusive o corte do cordão umbilical com alguns setores que teimam em gerenciar os eventos no município, pois na verdade Gramado está de mão atadas. A expectativa é de que isso seja revertido, de forma correta, mas revertido.

 

 

RESPOSTAS ENVIADAS PELOS LEITORES:

Ao enviar a sua opinião, que como dissemos, não identifica a pessoa, você terá a aoportunidade ver ver as colocações já postas no formulário.

 

-- x --

 

Veja algumas informações da pesquisa do Natal Luz 2016/17 relacionadas ao perfil do público. Pesquisa completa veja na edição anterior clicando aqui

 

Clique na imagem para amplia!