Prezado Leitor, uma passagem pelo Natal Luz de Gramado pode ser muito mais interessante do que tu imagina, basta que tu acompanhe o roteiro de criação da decoração.

Um dos grandes desafios do Natal Luz de Gramado é a decoração, pois é ela que transforma a cidade em um parque aberto, onde todas as pessoas têm acesso, sem pagar, diríamos que é a democratização do evento, juntamente com a Parada de Natal, a Árvore Cantante, o show de Acendimento das Luzes e os espetáculos da Rua Coberta.

Depois de alguns longos e polêmicos anos, a Gramadotur iniciou, desde o ano passado, o retorno às origens do Natal Luz, tanto reivindicado pela população, principalmente os filhos naturais de Gramado. A contratação de uma gramadense, Claudia Casagrande, para esta incumbência foi a ação mais acertada da Gramadotur, desde a sua fundação.

A preocupação na hora de elaborar, aqui falamos especificamente da decoração, deve levar em conta a opinião dos gramadenses, visto que Gramado é o que é por causa do seu povo que, não passa batido em nada. Aqui opinamos sim e nos rebelamos, afinal, somos nós que construimos este destino. "Eles passarão, nós passarinhos".

 

O Papai Noel na entrada da cidade, Várzea Grande. Natal Luz de Gramado. CRédito: Cleiton Thiele

 

O conceito da decoração

Uma decoração mais limpa, sóbria e elegante. O verde e o dourado predominam. O tradicional vermelho vivo fica para pontos lúdicos.

 

Os anjos que estão em frente à Prefeitura e na Rua Coberta exercem o papel de mensageiros de Deus, anunciam ao povo o nascimento de Jesus. ‘Não é para menos que o anjo é um dos maiores portadores da alegria dessa época natalina’, diz Claudia. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele

 

As partituras

A decoração deste ano inicia no acesso da Expogramado onde está a bilheteria do evento e os espetáculos do Desfile de Natal e a Lenda do Bosque (lindo espetáculo). Seguindo pela Avenida Borges de Medeiros os pinheiros estilizados trazem as partituras das notas musicais de duas canções natalinas, Noite Feliz e Adeste Fideles. “Essas duas músicas foram escolhidas porque são as minhas preferidas. Me fazem voltar ao passado, quando os corais com suas batas e lanternas eram ainda na frente da igreja” diz Claudia Casagrande. O link também se dá pelo fato de dois espetáculos musicais aconteceram na Expo, é parte do caminho... Crédito: Cleiton Thiele

 

A decoração espiritual

A Avenida Borges de Medeiros, entre a Rua Euzébio Balzaretti com ao cruzamento que vem da Rua Garibaldo, onde estão as asas e galhadas, tem por objetivo traduzir a espiritualidade do Natal. “Os anjos nos remetem a fé, liberdade, renovação, leveza, esse é o sentido do Natal. Não se trata de religião, pois cada pessoa tem a sua e é muito complexo, mas meu objetivo é que essas peças sejam símbolos da fé, que nos move principalmente nessa época” diz Claudia.

 

Igreja Matriz São Pedro. Árvore Cantante. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele

 

Tannemabufest

As cores escolhidas para ornar o longo da Avenida Borges de Medeiros, principalmente o verde e, a ausência da convulsão de cores, favorece os pinheirinhos do Tannembaumfest (que este ano as empresas deixaram a desejar, aliás, tem uma que desde que iniciou o evento coloca a mesma decoração. Creio que é hora provocar mudanças). Crédito: Cleiton Thiele

 

O não calor

Outro fator que é perceptível é que a cidade ficou menos quente. A decoração durante o dia, principalmente com sol a pino, não causa aquele sufocamento e, creio a ausência das cores fortes contribui para isso. O verde é aliado para os dias de calor, além de ‘desmerecer’ menos que o vermelho quando falamos em conservação. Ano que vem podia ser um Natal da Frozen!!!!

 

O Grande Pinheiro na rótula central. O pinheiro central tem os dois conceitos na mesma peça e com elementos que foram usados nas demais partes da decoração da cidade (anjos, renas e estrelas). As estralas representam a luz do caminho e entram na decoração lúdica e na mais tradicionais, mas com o mesmo significado, a de nos guiar. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele

 

As Renas

Rua Pedro Benetti, ao lado da Igreja Matriz, apresenta As Renas Decoradas por artistas gramadenses.  No olhar de Claudia, ‘as Renas são criaturas mágicas que arrastam o trenó do Papai Noel. Têm poderes mágicos e são voadoras representam muito o lúdico no projeto’. Crédito: Cleiton Thiele

 

Avenida das Hortênsias com São Pedro. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele

 

A decoração lúdica

Seguindo nosso percurso, saímos da ‘Borges sofisticada’ e entramos na ‘Borges lúdica’, iniciando com o Globo, uma peça nostálgica, popularmente conhecida por ser souvenir de viagens, pois ajudam a lembrar os bons momentos passados em cada local. Ali temos a Rua Torta, a Feira de Natal e os cones (pinheiros estilizados) em dourado que vão muito além do simples formato. Se tu observar verá que são totalmente detalhados. Neles estão esculpidas casinhas, renas, trenós, é um conceito de cidadezinha de Natal, que remete aos livros de infância vividos pela decoradora junto com sua mãe. “Um Natal simples, muito singelo, que via nas figuras dos livros, os vilarejos de Natal” diz Claudia. Crédito: Cleiton Thiele

 

A Rua Torta

A famosa Rua Torta, a rua mais procurada de Gramado. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele

 

A Praça das Etnias onde esta localizada a feirinha de Natal, os fornos e o armazém do Colonos, a saída dos passeios Rural, a feira orgânica e do artesanato, a Casa Italiana com Museu e a Casa Portuguesa. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele

 

O vilarejo de Natal nas árvores

Pinheiros dourados com as histórias de infância... Crédito: Cleiton Thiele

 

Os Quebra Nozes

Continuando nosso passeio chegamos a Praça Leopoldo Rosenfeldt, onde estão os soldados Quebra Nozes que são os guardiões dos nossos sonhos e dão as boas-vindas. O vermelho é destaque, cor tradicional no Natal, na "Rua Torta", na Vila de Natal, nos pórticos, na Praça da Várzea e na maioria das rótulas, com elementos decorativos tradicionais do Natal. As pessoas se identificam com alguma lembrança da infância ou as rementem a algum sentimento, explica Claudia. Crédito: Cleiton Thiele

 

O primeiro pórtico de Gramado. Natal Luz de Gramado. Crédito: Cleiton Thiele