O meio rural do municipio de Gramado é bonito, possui uma infraestrutura de estradas de fácil trafego, boa parte asfaltada. É bastante simples chegar as localidades e os agricultores são receptivos. Existem seis roteiros rurais, já prontos para visitação, estes normalmente são feitos por ônibus de época, dessa forma os locais já ficam preparados para receber, pois os moradores trabalham na lida da terra, animais e da casa durante o dia. Está sendo criado um roteiro de cicloturismo mas, mesmo sem, é possível fazer de bicicleta, de carro ou para quem curte caminhadas. Agora, se tu quer atenção, vá com um programa guiado (http://www.roteirosdeagroturismo.com.br/). Eu costumo sair sem destinos e rodar por tudo, parando para fotos, levo água e lanche e, quando vejo que estão em casa dou uma parada para um chimarrão.

 

Os ônibus de época que fazem os passeios pelos roteiros rurais já instituidos. Crédito: Tela Tomazeli

 

Crédito: Tela Tomazeli

 

Crédito: Tela Tpmazeli

 

Ao longo das estradas tu vai encontrar capelinhas, cada localidade tem seu santo, sua igrejinha e sua festa. No dia de São Pedro, todas 'vem pra Gramado' para a missa, São Pedro é nosso padroeiro. As imagens são colocadas junto ao altar da igreja Matriz São Pedro e, depois da celebração, os moradores saem em procissão pela Rua São Pedro, até o local onde vai acontecer o almoço. Neste, toda comunidade, principalmente do centro, participa, é mto tradicional. Foto: Tela Tomazeli

 

Missa de São Valentin, Linha 28. Foto: Tela Tomazeli

 

Em todas as festas são servidas saladas diversas, além da de maionese, cucas, pães, sopa, churrasco. As mesas são coletivas, preenchidas uma por uma, por ordem de chegada. Quem chegar depois das 11h30 pode saber que fica para segunda mesada. É uma delícia!

 

Celebração da missa em honra a São Pedro, padroeiro de Gramado, em frente ao altar os santos de todas as localidade, rural e bairros. Foto: Tela Tomazeli

 

Procissão. Foto: Tela Tomazeli

 

Foto: Tela Tomazeli

 

Gramado rural. Foto: Tela Tomazeli

 

Fornos na cidade. Tu tem a possibilidade de desgustar todas as delícias, como o pão de milho e as saborosas cucas no centro de Gramado. Na Praça das Etnias foram construídos fornos de tijolos assentados com argamassa, onde os alimentos são assados diariamente. Os colonos chegam por volta de 4h30 da manhã para acender o fogo, dessa forma, lá pelas 7h tu já sente o cheirinho das guloseimas. Ao lado tem um armazém colonial que vende produtos produzidos por eles. Também acontece a feira orgânica, todos os sábados pela manhã. Foto: Tela Tomazeli

 

O gramadense, em sua grande parte, é raiz do italiano e alemão, e dos portugues. As administrações (não vou citar A ou B, pq um fez e os outros mantiveram) sempre tiveram cuidado em manter os agricultores nas sua localidades, por isso a criação dos Roteiros Rurais, da Praça das Etnias e da Festa da Colônia, que acontece anualmente, durante cerca de 15 dias. Essa é uma forma de manter as famílias em suas terras. Em 2020 a Festa da Colônia será de 30 de abril a 17 de maio, é aberta ao público para almoço, janta e lanches, com pratos da culinária alemão, italiana, gaúcha. O queridinho da festa é o bolinho de batata, nossa, dá água na boca só de escrever. Foto: Tela Tomazeli

 

Desfile de Carretas. Em dois finais de semana da festa acontece na Avenida Borges de Medeiros o desfile, característico da festa. As carretas conduzidas pelos bois trazem usos e costumes do interior. A Festa da Colônia é o evento mais amado pelos gramadenses. Foto: Tela Tomazeli