Para testemunhar a importância da cultura como suporte do turismo, podemos tomar de exemplo a Semana do Bebê e o Festival de Bonecos de Canela. A primeira, a custa de um tema milenarmente genérico, consolidou-se como a mais límpida preciosidade cultural existente na região: vários anos de caminhada contínua e renovadora comprovaram que a cultura pode se inserir muito bem longe dos efêmeros brilhos dos holofotes ou do atropelo das grandes multidões. O Festival, expressão artística que se firmou internacionalmente ao vigor de admirável apego cultural, cultiva, já por décadas, o espírito pioneiro do Dr. Mendes, um sonhador tão inteligente, convicto e produtivo quanto o Dr. Salvador Célia.

As lições de Canela nos levam a refletir quanto ao despertar da organização da cultura em nossa cidade. Elas nos propõem a examinar novas formas de estimular o turismo. Não que tenhamos que abandonar as antigas, mas saber que turismo também pode ser produtivo à sombra da suavidade dos eventos culturais. E a ascensão de Allan Lino John à testa da Secretaria da Cultura, o primeiro profissional da área designado para essa função, tira a gestão da cultura da condição de moeda de troca para ocasionais acertos político-partidários.

 O Natal Luz, o Gramado in Concert e outras consagradas iniciativas que temos, já são de caráter originariamente bastante cultural, mas ofuscadas pela mercantilização a que estamos acostumamos e à pouco atendida conceituação cultural que, até hoje, as caracterizam. O caráter burlesco de alguns eventos artísticos parece o plantio de um parque de diversão ou de uma Disneylândia sobre um canteiro de araucárias.

Assim, a base artística do turismo gramadense está operante, organizada e autorizada em formulação preliminar e oficial. Agora toca aceitar o desafio de gerar daí cultura, e fazer dela a nossa mais distinta maneira de ganhar o pão de cada dia. Nisso pode ajudar nosso aprendizado de que o turismo tem alcançado o máximo de eficiência, quando entendido como dinamizada ciência contemporânea. E que está, com isso, rapidamente acrescentando ao simples lazer o desenvolvimento econômico sustentável de cidades e países.

 

E-mail do colunista: riegelre@via-rs.net

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.