O momento não é dos melhores para o setor hoteleiro no Brasil. Com a crise intensificada no primeiro semestre, o turismo sente alguns reflexos, e grandes grupos hoteleiros, por exemplo, vem fazendo demissões em massa. Por outro lado, alguns empreendimentos acabam de ser inaugurados e outros estão em construção em uma situação que acaba sendo contraditória. Se ocorrem demissões em peso, ao mesmo tempo, existem unidades hoteleiras entrando em operação e gerando novos empregos.

Em nossa região, que é modelo de turismo a nível nacional, existem alguns empreendimentos hoteleiros em plena expansão. O número de leitos deve aumentar bastante até o final de ano e isso pode ter um impacto ainda maior na questão mão de obra em um ano de crise econômica no país. 

A tendência para afugentar a possível sobra de leitos é investir na criatividade e inovação. E isso já é uma prática de vários grupos. O avanço da tecnologia e novas soluções provocam uma mudança muito forte no setor hoteleiro. É preciso se reinventar, apresentando um serviço diferenciado e uma estrutura condizente com o preço ofertado, para se tornar competitivo no mercado.

Os hotéis-boutique, de luxo e design são tendência, e idéias inovadoras implantadas na organização do negócio em diferentes áreas como marketing, gestão financeira, planejamento e treinamento de funcionários são fundamentais. Além da qualificação, a redução das carga tributária é item fundamental para que os empreendimentos passem a ser mais atrativos aos clientes. Neste sentido, cada vez mais o turista busca avaliar o custo-benefício do empreendimento, fazendo um levantamento criterioso pela escolha do meio de hospedagem e sob-pesando seu investimento.

Como exemplo de sucesso podemos citar a Airbnb que, em 2015, se tornou a empresa com maior número de quartos disponíveis sem jamais ter construído um único hotel.
A expectativa de recuperação da economia e a realização dos Jogos Olímpicos no Rio trazem perspectivas de melhora no desempenho dos hotéis em 2016.

De qualquer forma é fundamental para os profissionais do turismo se levantar, serem pró-ativos, buscando novas alternativas. Uma das tendências do turismo mundial é a aposta nos hotéis criativos. Criatividade nem sempre depende de altos investimentos e inovação. Depende exclusivamente de uma equipe focada no diferente, que pense em soluções diferentes para seu negócio.

E-mail do colunista: eduardo@rossiezorzanello.com.br

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.