As Bem-aventuranças

(Mt, 5, 1-12ª)

SOLENIDADE DE TODOS OS SANTOS

Quem se aproxima sempre de Jesus, encontrará um conteúdo que é inesgotável. São as Bem-aventuranças, pois nelas encontramos uma luz diferente para o momento em que estamos vivendo. Assim, quem quiser ser feliz deve deixar ressoar em si as palavras de Jesus.

Se algo se mostra claro nas bem-aventuranças é que Deus é dos pobres, dos oprimidos, do que choram e sofrem. Deus não insensível ao sofrimento. Não é apático. Como bem dizia o teólogo Jürgen Moltmann: Deus “sofre onde sofre o amor”.

Não são raros os pensadores que creem observar um aumento crescente da apatia na sociedade moderna. Parece que está crescendo a nossa incapacidade de perceber o sofrimento alheio. É a atitude do cego que já não percebe a dor. É o embotamento de quem permanece insensível diante do sofrimento. De mil maneiras vamos evitando a relação e o contato com os que sofrem. Levantamos muros que nos separam da experiência e da realidade do sofrimento alheio.

Por outro lado, a organização da vida moderna parece ajudar a encobrir a miséria e solidão das pessoas, ocultando o sofrimento. Às vezes não sentimos a solidão e o desespero de quem vive junto de nós.

A verdade é que reduzimos os problemas humanos a números e dados. Contemplamos o sofrimento alheio de forma indireta através da tela da TV, da internet e outros meios de comunicação. Corremos para nossas ocupações sem tempo para deter-nos diante de quem sofre. Precisamos ouvir Jesus:

  1. Felizes os que têm espírito de pobre, os que sabem viver com pouco. Estes terão menos problemas.
  2. Felizes os mansos, os que esvaziam seu coração de violência e agressividade. Estes são uma dádiva para o nosso mundo violento. Quando vivemos assim, poderemos conviver em verdadeira paz.
  3. Felizes os que choram ao ver os outros sofrer. São pessoas boas e com elas se podem construir um mundo mais fraterno e solidário.
  4. Felizes os que têm fome e sede de justiça, pois não perderam o desejo de serem mais justos, nem a vontade de construir uma sociedade mais digna. Neles sobrevive o melhor do ser humano.
  5. Felizes os misericordiosos, os que sabem perdoar do fundo do coração. Eles são os que podem melhor nos aproximar da reconciliação.
  6. Felizes os que têm seu coração limpo de ódios, falsidades e interesses ambíguos. Neles se pode confiar para construir o futuro.
  7. Felizes os que trabalham pela paz com paciência e com fé, sem desanimar diante dos obstáculos e dificuldades, buscando sempre o bem de todos. Precisamos deles para reconstruir a convivência.
  8. Felizes os que são perseguidos porque agem com justiça e respondem com mansidão às injustiças e ofensas. Eles nos ajudam a vencer o mal com o bem.
  9. Felizes os insultados, perseguidos e caluniados porque seguem fielmente a trajetória de Jesus. Seu sofrimento não se perderá inutilmente.

Aqueles que vivem inspirando-se neste programa de vida, “serão consolados”, “ficarão saciados de justiça”, “alcançarão misericórdia”, “verão a Deus”, como desfrutarão eternamente em seu Reino.

Ser cristão é aprender a “viver bem” seguindo o caminho aberto por Jesus. As Bem-aventuranças são o núcleo mais significativo e “escandaloso” desse caminho.

 

Façamos nossa oração:

Senhor Jesus, faze-nos sempre trilhar os caminhos das bem-aventuranças, que é o caminho da santidade. Amém

E-mail do colunista: pe.arisilva@hotmail.com

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.