(Mc 8,27-35)

24º Domingo do Tempo Comum

No episódio do evangelho de hoje, temos dois momentos: no primeiro, Pedro proclama a sua fé em Jesus; no segundo, temos o primeiro anúncio da Paixão.  Jesus está se preparando para deixar a Galiléia e ir  para Jerusalém.  A multidão ainda não identifica Jesus, mas os discípulos sim, e o reconhecem como o Cristo, que significa o Ungido. No segundo momento, temos o anúncio da sua morte, por parte de Jesus. Pedro tem um choque e tenta impedir o subir de Jesus a Jerusalém para morrer. Jesus termina, exortando todos a renunciar a si mesmo, tomar a cruz e segui-lo. Quem isso fizer, tomar a cruz e segui-lo. Quem isso fizer, terá a vida eterna.

A palavra chave desse episódio é caminho. Pelos caminhos da Palestina, Jesus ensinou, exortou, admoestou, corrigiu, acolheu, amou, curou, expulsou. No caminho, encontrou, falou e curou muita gente. No caminho, Jesus deu-se a conhecer no partir o pão. As exigências para trilhar o caminho de Jesus são: partilhar o caminho de sua paixão, dar a vida pela causa do reino e sentir-se atraído por Jesus e pela sua Palavra. Senhor Jesus, seguir o teu caminho não é fácil nem simples. Dá-nos a coragem de nos colocarmos a caminho junto contigo e subir para Jerusalém para morrer e ressuscitar para a vida eterna.

Na perspectiva do Messias Servo Sofredor, o discipulado comporta sofrimento, renegamento de si próprio e a experiência da cruz. Seria perda de tempo querer nutrir esperança de salvação, sem trilhar o mesmo caminho de Jesus.

 

Façamos nossa oração

Senhor Jesus, revela-nos sempre mais a tua face do Messias Servo, para que nós nos engajemos no caminho do teu seguimento. Amém.

 

E-mail do colunista: pe.arisilva@hotmail.com

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.