Rito Bíblico de Purificação através da “Espada” 

A Palavra de Deus nos apresenta a “espada” como algo que possui dois gumes. No NT Jesus é apresentado como uma espada de dois gumes. A raiz dessa linguagem se encontra no Livro do Apocalipse de João, onde diz que Jesus está assentado no trono: “Na mão direita segurava sete estrelas” (Ap 1,16). A interpretação desse texto na visão do NT tem referência a Cristo, como Senhor do mundo, que separa os justos dos injustos.

É bom frisar que o texto em si não tem referência a uma batalha bélica com armas, mas foca a força da Palavra de Deus em nossas vidas, pois ela nos transforma e não permite que ninguém fique em cima do muro. Jesus afirma: “Não penseis que eu vim trazer a paz a terra; eu não vim trazer a paz, e sim a espada”. (Mt 10,34). Por quê? Certas palavras de Jesus são como a espada. Em outras palavras: Não tranquiliza, mas agitam, pois preciso necessariamente tomar decisões fortes e radicais na minha vida. Ou sigo a Cristo, ou tomo outro rumo que me é mais agradável.

Na Carta aos Hebreus fica mais claro quando diz: “Viva é a Palavra de Deus, eficaz e mais penetrante que qualquer espada de dois gumes. Ela penetra até dividir a alma do espírito, as articulações das medulas; ela sonda os sentimentos do meu coração”. (Heb 4,12). Nossa espiritualidade ao internalizar a Palavra de Deus, penetra e se torna juiz dos nossos pensamentos e sentimentos ocultos, da vontade e as deliberações de nosso coração, mostrando-nos realmente se está nos conduzindo à vida ou não.

A Palavra de Deus separa em mim o que está misturado, ou seja, o amor puro das impurezas de círculos de poder, o ceder de covardia, o lutar do medo que muitas vezes se mistura com a luta. Simeão quando Jesus foi apresentado no templo profetizou: “Ele será um sinal de contradição; assim serão revelados os pensamentos de muitas pessoas”. (Lc.2,34). Portanto não é possível fitar Jesus sem compromisso, se me entrego a ele, os pensamentos serão divididos dentro de mim.

E-mail do colunista: pe.arisilva@hotmail.com

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.