Bíblia e os sinais de “Purificação” que o ser humano procura 

Ao estudar as religiões se percebe que o ser humano sempre procurou de alguma forma buscar elementos para a purificação de si mesmo e de seu grupo para estar em paz e harmonia com o sagrado. Isso confirma que o ser humano é “religioso por essência e não por acidente”. Há no interior do “ser-si-mesmo” um sentimento de culpa dá sujeira interior a ser expelida.

A bíblia nos apresenta algumas imagens usadas para a purificação: através da água, pelo fogo, pelo sangue e pela espada, embora essa última nos causa certo estranhamento. Na reflexão desse artigo de hoje, vamos frisar a purificação a partir do “fogo”. “Ouro e prata são purificados pelo fogo”. Anselm Grün cita o (Sl 66,10) que diz: “Sim, ó Deus, tu nos provaste e nos refinaste como refinam a prata”. Se ouro e prata forem postos a uma temperatura de 1000 graus, ocorre um processo de fusão que a transforma e elimina tudo o que é impuro.

Na alquimia da Idade Média, ser aquecido era um processo espiritual. “Pelo aquecimento, o homem é purificado de tudo o que é instintivo, e assim capacitado para o amor puro [...] para muitos povos, o fogo é santo, purificador e renovador; ele vem do céu; também as cinzas que restam após a queima são consideradas purificadoras”. (GRÜN, Anselm). E segue: “Em muitas culturas, as pessoas se purificavam com cinzas [...] os judeus espalhavam cinzas sobre a cabeça para expressar sua disposição de conversão e de purificação interior”. Nós cristãos católicos também usamos na “quarta-feira das cinzas” um ritual com imposição das cinzas na cabeça que nos introduz num tempo de penitência: a quaresma.

O fogo também nos purifica hoje: As crises existenciais, falta de apoio, doença grave, destruição do casamento, morte de alguém querido, traição, difamação, calúnia, todos são elementos que passa pelo “FOGO” que nos faz pensar, transformar e amadurecer. O sofrimento é algo que queima tudo o que impuro dentro de nós e purifica. (continua) 

E-mail do colunista: pe.arisilva@hotmail.com

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.