Diálogo Judicial Internacional – O uso da jurisprudência estrangeira pela justiça constitucional

Crédito: divulgação

 

Lançamento 1

Cada vez mais os juízes e tribunais de vários países e ordens jurídicas invocam decisões de cortes estrangeiras sobre questões constitucionais semelhantes. Pensando na conversação entre instituições e nações, o juiz Maurício Ramires desenvolveu uma tese sobre o tema para o doutorado em Ciências Jurídico-Políticas na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. O estudo virou o livro Diálogo Judicial Internacional – O uso da jurisprudência estrangeira pela justiça constitucional, publicado pela editora Lumen Juris, que terá lançamento e sessão de autógrafos no dia 26 de outubro, a partir das 18h30min, na sede da Escola Superior de Magistratura do Rio Grande do Sul (ESM/AJURIS), em Porto Alegre.

 

Lançamento  2

“Este é um assunto muito discutido no exterior e, por aqui, ainda é novo. Os tribunais estão 'falando' uns com os outros por todo o mundo, e há inclusive quem fale no surgimento de uma verdadeira 'comunidade internacional de juízes'. Por isso, decidi publicar o livro para que possamos entender mais sobre essa conversação jurídica que atravessa as fronteiras dos países e já atinge o Brasil”, afirma Ramires. Na obra, o autor sistematiza o tema da utilização da jurisprudência estrangeira pela justiça constitucional, elaborando conceituações básicas e dissertando sobre a relevância da integração dos tribunais no diálogo internacional para o processo de interpretação da Constituição. Os pontos tratados são ilustrados com dezenas de exemplos de casos de tribunais de mais de vinte países e de tribunais internacionais.

 

Maurício Ramires. Crédito: Lisa Roos 

 

Sessão Comentada

A Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul, em parceria com a Lança Filmes e o Instituto Ling, promoverá uma sessão comentada do filme Epidemia de Cores (2016), de Mário Eugênio Saretta. A segunda edição da Sessão ACCIRS de Cinema irá ocorrer hoje, dia 29 de setembro, às 19h, e será mediada pelo crítico Robledo Milani, presidente da instituição gaúcha. O encontro contará, ainda, com as participações da psicóloga Tania Mara Galli Fonseca, do doutor em psicologia social Leonardo Garavelo e do crítico William Silveira, do portal Papo de Cinema.

 

Ingressos no valor de R$ 20,00 e no local. Crédito: divulgação

 

Compartilhamento

Uma experiência internacional, seja de estudo, trabalho ou lazer, traz mais do que a imersão em outra cultura. Transformação pessoal, novas visões de mundo, uma bagagem repleta de histórias incríveis e, principalmente, um novo modo de ser e ser visto pelo mundo. Em setembro, no mês de aniversário de 28 anos da CI – Intercâmbio e Viagem, a maior empresa do segmento no Brasil lança a campanha “Mês do Intercâmbio”, que possibilita que mais pessoas ultrapassem as fronteiras e descubram o mundo através das redes sociais.

 

“Como amo estar em contato com os animais, para mim, foi uma experiência de vida ímpar, porque aprendi que dá para viver num lugar sem luxo e ser feliz sem muitos bens materiais”, afirma Márcia Negrini.  A consultora teve uma experiência de 15 dias na África do Sul, onde cuidou de animais em extinção. Além de alimentá-los, a caxiense, que hoje mora em Porto Alegre, deu a eles algo muito mais importante: carinho e atenção. Crédito: arquivo pessoal

 

Sob nova direção

A Bazkaria, uma das mais tradicionais pizzarias artesanais da cidade, completa 15 anos sob nova direção. Os irmãos Ricardo, Carmen e Maria Alice Amado Cirne Lima são os novos proprietários da casa, que faz aniversário em outubro. Advogado, Ricardo assume como investidor, enquanto as irmãs Carmen e Maria Alice respondem pela gastronomia e pelo atendimento. Ambas possuem mais de 20 anos de atuação no segmento, acumulando experiência nos diversos restaurantes que consagraram a iniciativa empreendedora de Eleonora Rizzo na Capital.

 

Maria Alice e Carmen Amado Cirne Lima. Crédito: Cláudio Elias

 

E-mail do colunista: adriano@phosphoros.com.br

O conteúdo da coluna assinada assim como as imagens é de responsabilidade do colunista.