Crédito: Tela Tomazeli

 

Tu descobres um bom fornecedor e o indica. Ele passa a ter muitos clientes, sua agenda não tem mais espaço para você a menos que seja horário fixo. Você acaba ficando sem ele pois, como a procura foi grande, o preço aumentou e você não pode pagar. A isso chamo de: credibilidade (de quem indica) X dinheiro (de quem tem para pagar) = Esqueça que ele vai lembrar que você fez parte de sua ascensão.

 

Litoral gaúcho. Crédito Tela Tomazeli

 

Sai cedo, 6h45 na manhã de terça-feira e deparei com o caminhão de água da Prefeitura Municipal de Gramado regando as flores da rótula da Avenida das Hortênsias com Avenida Borges de Medeiros. Senti uma vibração ao ver aquelas e despis o restante das flores de Gramado sendo regadas ao amanhecer. A isso eu chamo de AMOR. As flores, as rótulas nunca estiveram tão lindas, nunca!

 

Litoral gaúcho. Crédito Tela Tomazeli

 

As vezes eu me questiono, aliás muitas vezes: estou ou não do lado de tal pessoa? Por que me envolvo em polêmicas? Isso me causa muito mal. Mas parto do meu discernimento para avaliar as coisas e ai não importa quem seja ou o que seja. É uma característica minha e, quem me ouve é a vó Lacy. Bertoja. Choro em seu colo dizendo que não quero ser como sou e ela me diz: 'não adianta chorar tu é assim e sempre vai ser' e, continua, diz ela.

 

Litoral gaúcho. Crédito Tela Tomazeli

 

Eu não tenho partido. Quando Brizola morreu minha credencial foi com ele. Seguia a ele e a Darci Ribeiro por tudo. Eu sou uma pessoa apaixonada, impulsiva, uma 'metamorforse ambulante como diz Raul. Eu só tenho uma certeza: Gramado, meu nono e minha nona Bordin e minha vida na Linha 28.

 

Litoral gaúcho. Crédito Tela Tomazeli

 

E vivemos entre o tilintar das moedas e os sonhadores. Pois eu vos digo, um mundo de fantasia a partir de sua própria essência lhes trará mais dinheiro que as obras construídas. A memória do passado, dentro do processo de globalização, evindencia. Queremos o Lago Joaquina Rita Bier como ele era. Natal Luz, ali não é mais seu lugar ou, das pessoas que o usam e o destroem. A mãe terra está sofrida, a água esta poluída, o verde destruído pela mão de quem faz o Natal Luz.

 

Litoral gaúcho. Crédito Tela Tomazeli

 

Ao Joaquina Rita Bier a sutileza das canções, a dança das águas ao entardecer, a luz ao anoitecer para que nos sintamos seguros. A música que nos transporte, a grama que nos acolha, os peixes e os patos que nos mostrem a energia vital. A dignidade do gramadense a baronesa que leva seu nome. Somente isso!

Um pouco de história.
Bairro Planalto onde nós moramos.
Henrique e Louis Bier compraram do capitão Francisco Alves dos Santos e sua mulher Maria Angélica dos Santos,32 e meias colônias que mandaram demarcar em 1881. Parte dessas terras constituem a cidade de Gramado .
Com o falecimento de Henrique Bier em 1886 os bens passaram para sua esposa Joaquina Rita e filhos.
Joaquina Rita era a filha caçula do Barão Friedrich Wilhem Von Schlabrendoff e a Baronesa Maria Anna Friederika Von Wrede. Ela nasceu em 9 de novembro de 1828 na Ilha da Pintada em Porto Alegre. Casou em 1847, aos 19 anos, com Henrique Pedro Bier.
O casal deve 9 filhos, um falecido aos 9 anos.
A Baronesa Joaquina Rita Von Schlabrendoff Bier nunca veio a Gramado.Faleceu em 27 de setembro de 1916 aos 78 anos, foi enterrada em São Leopoldo.
O Lago e Parque Joaquina Rita Bier é hoje um dos mais lindos e apraziveis lugares de Gramado.. Fonte> http://www.fotolog.com/luiasteigleder/50662794/

 

Crédito: Tela Tomazeli

 

Mas a gente sempre volta. As flores em Gramado estão lindas, bem cuidadas, estéticamente adequadas nos vasos e, a rótula entre a Avenida das Hortênsias e Avenida Borges de Medeiros, que abriga os vasos foi feita outra. Essa providência vinha solicitando há anos, mas sequer era concertada. Quando o então secretário de Turismo Edson Néspolo assumiu em Gramado agendei uma visita para me apresentar. Disse a ele o que fazia, da minha visão sobre as coisas, da pessoa cuidadosa que sou com Gramado. Falei também que Gramado possui particularidades e por isso é o que é. Disse-lhe que somos um povo que participa, que reivindica, que se não gosta 'bota a boca mesmo'. E, óbvio, disse-lhe que sou quase que a lider dos movimentos, na verdade era, agora tem muita gente que não deixa mais as coisas passarem em branco.

Bem, essa introdução toda é para contar para você, prezado Leitor, o único pedido que fiz para ele: por favor, não volta com aquela rótula dos horrores (aquela que representava os eventos da cidade e tinha hortênsias de plástico) e concerta a estrutura, e por favor, tira aqueles tocos que funcionam como suporte.

Bem, você deve estar pensando de onde saiu essa liberdade. Eu respondo: quando das eleições, tínhamos uma galera que acompanhava na tv a camapanha de Porto Alegre e de Caxias do Sul e, definia seu candidato. O meu era o Néspolo, pelo programa de campanha que apresentava. Dessa forma, me senti a vontade para expressar, aliás como fiz todo ano de 2017, já que meu 'voto' foi para ele.

Eu penso e sempre coloco que o homem/mulher público não é, está. O cargo não dignifica, o caráter sim. Néspolo respondeu, não ao meu pedido, porque não solicitei nada para minha pessoa em particular, mas sim para meu municipio. Bah, mas é só uma rótula! Sim, que faz uma grande diferença na área principal de um dos destinos do turismo mais requisitados do pais. Obrigado presidente da Gramadotur.